O ser humano carece de uma necessidade igual de amor.
Nessa busca por vezes incessante, deparamo-nos com o ciúme,
sentimento que aparece nas relações familiares,
amorosas ou de amizades mesmo.
O ciúme é um sentimento pessoal voltado unicamente para quem o sente.
Dizem ser mais comum no sexo feminino pelos próprios padrões sociais
 ou porque a mulher não se esconde atrás de máscaras.
Muitas vezes o ciúme é provocado pela insegurança, pelo medo de se preservar
o que não se quer perder, pela baixa auto-estima, pela idolatração
ou projeção no outro do que se desejaria ser.
Entretanto, o ciúme não começa do nada.
Existe um desenrolar como qualquer outra doença.
Normalmente começa quando falta intimidade, diálogo, reciprocidade,
atenção, exclusividade ou outro requisito fundamental em
qualquer relacionamento.
O ciúme se manifesta na instabilidade do relacionamento ocasionando dúvidas,
vingança, raiva, vergonha e medo.
A insegurança na relação amorosa começa por haver um afastamento
inexplicável, desculpas por não realizarem mais juntos o que era comum,
desinteresse pela vida do outro, mágoas ou a falta de parceria
na solução de problemas incomuns.
Essas ações geram uma incoerência de conduta.
”Tudo”está havendo sem que ” Nada” seja esclarecido.
Estar longe dos olhos e carregando no coração vira uma desculpa
que na maioria das vezes atordoa sem satisfazer.
É nesse momento que começam as cobranças e a imaginação ganha forma e voz.
Gera uma sobrecarga porque o outro por sentir-se
cobrado e pressionado, afasta-se cada vez mais .
Surge a culpa e a tentativa de controlar o fracasso na busca
 desenfreada de uma reaproximação.
A insegurança traz o medo do abandono e um aumento da carência afetiva.
O ciúme gera um descontrole entre a realidade e a fantasia.
 Impõe investigações na vida do outro, vigiando, vasculhando,
surpreendendo ou recriminando atitudes que seriam
racionalmente compreensíveis.
Em alguns casos, o ciúme não é efeito fantasioso .
Ele é o alerta de que a relação está minando.
E se há influência de terceira pessoa foi o vácuo deixado
 pelo descaso do outro.
Acredito ainda que se esta relação é vivida com intensidade e amor
e os dois desejam recuperá-la é possível torná-la saudável.
Quem ama nunca deixa o outro chegar à condição de desespero.
Não deixa o outro estimular a fantasia em respostas que não encontra .
Todos suportam a verdade.
O que não é suportável é o caminho usado pela mentira
 até atingir a verdade.
Quando o ciúme é o leme, é preciso admitir que a relação está doente .
É preciso falar o que aflige.
É preciso ouvir e se colocar no lugar do outro.
É preciso mostrar a importância desta relação para cada um.
Não basta parecer honesto.
Urge se fazer honesto.
Cada relação afetiva é como uma plantinha.
 Carece de cuidados, carinho e atenção.
Carece de demonstrações de amor para que seja uma vida dupla..
Ou será uma relação vivida apenas por um...
Beth Nunes





nuaideia2007@nuaideia.net.br
http://www.nuaideia.net.br
Copyright 2015-2017
http://www.nuaideia.com
Copyright 2007-2017
http://www.nuaideia.com.br
Copyright 2015-2017
Domínio: Beth Nunes
Direitos Reservados®